Menú // Pesquisa
#QuemPensa é Lucamaluka: “Cebolas”

#QuemPensa é Lucamaluka: “Cebolas”

E de repente,

ainda na cama,

tens a certeza que o sol está a brilhar

que o dia vai ser francamente bom. 

Fumas um cigarro, comes cereais

percebes que as cebolas para o almoço

são muito mais importantes que a crítica da razão pura

e brincas com os amigos que te deram abrigo:

“Papás podemos ir ao parque da cidade?”

Lembras-te dos teus.

De quando ias ao cinema aos sábado de manhã

e que hoje é sábado de manhã.

Que pouco ou nada mudou.

Que és a mesma pessoa

tal folha caduca que simplesmente nasce 

cresce 

cai 

e morre. 

Que a vida não é um buraco e um chapuz

nem um ensaio de circo

nem sequer um ensaio de circo ahah.

Que não te cabe a ti essas coisas,

que essas coisas só angustiam homem,

que essas coisas só angustiam homem.

Por momentos é sábado de manhã

uma guerra prestes a estourar

tu mal te consegues por de pé

(tanta porrada que levaste)

e só consegues estar-te cagando para tudo isso. 

Só consegues ver a vida que levas

os amigos que tens, os que perdeste,

as tarefas, o trabalho, o copo que combinaste mais logo à noite,

o estudo meu deus que ainda falta 30 páginas

e, sobretudo,

só consegues ver que não gostas da morte.

Que não gostas mesmo nada da morte

porque queres mesmo cortar aquelas cebolas

porque a vida, é que pode mesmo ser,

hoje é mesmo só cebolas.

E que belas,

ali penduradas,

à minha espera,

Hoje é sábado de manhã 

e é um belo dia para cortar cebolas 

e ficar grato.

Petisuis I – Adrian Cevert