Menu & Search
#QuemPensa é Jonas: playlist para Janeiro – pt.4/6

#QuemPensa é Jonas: playlist para Janeiro – pt.4/6

O que ando a ouvir, porquê, o que me diz e porque vocês a devem ouvir e fazer aquilo que eu vos digo até morrerem.


Jonas construiu uma playlist para a CVLTO que irá analisar ao longo dos próximos dias. A playlist completa está disponível aqui.

“Blow Job” – Bruce Haack

“Blow Job” – Bruce Haack

Por falar nisso, aqui está um tema chamado “Broche” de um compositor electrónico da década de 60 que tem parte do seu percurso escrito na Wikipedia com o título

From Children’s Music to Electric Lucifer (1963-1976)

Não tenho muito a dizer sobre isto porque só comecei a ouvir há pouco tempo, simplesmente ouçam que é engraçada. Já agora, o ‘Electric Lucifer’ é um clássico da música psicadélica. Dêem uma checkada.

 

“Down In Splendour” – Straitjacket Fits

“Down In Splendour” – Straitjacket Fits

Sinto que é o meu dever cívico introduzir ao eurolixo ibérico o senhor Shayne P. Carter e o catálogo da Flying Nun Records.

Provavelmente a coisa que mais pessoal conhece da label da Nova-Zelândia (sim, houve toda uma cena Indie espectacular tipo Creation na Nova-Zelândia entre 80-90) deve ser The Clean e The Chills (tiveram um afloramento há coisa de dois ou três anos na Pitchfork com uma reedição qualquer), mas há muito mais e melhor, sinceramente.

Se calhar é de mim que tenho uma panca qualquer por bandas das décadas de 80-90 com um som entre o shoegaze e o pop ou então este tema poderia ter sido um êxito do caralho se estes gajos não estivessem sediados na merda que deus cagou.

Vocais à Beatles, efeitos de vibrato cristalinos afastados na mistura e um apontamento de guitarra que é praticamente o refrão, estes gajos fizeram, para mim, um dos temas mais notáveis do género.

Isto aqui é o som que um lago faria se tocasse guitarra mas… pronto…

Ele teve outro projecto nos anos 2000 chamado Dimmer que… juro-vos eu, caralho… cada tema que o gajo alguma vez fez ali poderia ter sido um single.

Infelizmente vamos ter continuar a associar “Nova-Zelândia” a anéis, Flight of The Conchords e Connan Mockasin enquanto um gajo que poderia estar no mesmo patamar que um Ian McCulloch ou um Thom Yorke continua a tocar nos bares locais e a fazer likes ao pessoal no faces. Nada contra, mas acho que mais gente merecia ouvir isto.

 

“Atmosphere” – The Flowers of Hell

“Atmosphere” – The Flowers of Hell

Uma vez o Trent Reznor disse (sobre a versão do Johnny Cash da “Hurt”):

“O tema já não é meu. Agora é dele”

O senhor Trent Reznor também disse “Quero foder-te como um animal. Quero sentir-te por dentro. Quero foder-te como um animal. Toda a minha existência é errática. Tu trazes-me para perto de deus.”

Agora não me lembro se foi ao Johnny Cash uma vez que o apanhou na ida para a casa de banho, se foi à tia-avó ou ao Tom Hanks enquanto ele chorava uma lágrima pela bochecha abaixo, mas pronto.

Onde é que eu ia? Ah!

Os Flowers of Hell são das minhas bandas favoritas. Porquê? Imaginem… Spacemen 3, Spiritualized, Spectrum e Brian Jonestown Massacre… com uma mini-orquestra?

Quê, mano? QUÊ? Tu bates mal, man.

Estamos a falar de temas com uma composição simples, acordes maiores com pessoal da música clássica a ajudar. Foda-se… estão a ver o quão seria fixe o rock psicadélico se o pessoal que estuda música clássica não fossem todos uns cabrões com o nariz empinado e quisessem jammar com pessoal que não sabe ler partituras?

Mais: o gajo que é o principal compositor e mentor desta banda (Greg Jarvis)… tem sinestesia compulsiva de timbre-para-forma e vê o som a três dimensões!!!

Woooow!

É uma doença super rara mas o gajo praticamente compõe a partir daí. Não é altamente existirem pessoas assim? E não acham altamente a versão de alguém tão sensível a música soar a coisas que derivam de Velvet Underground? Parece que tipo…é o pessoal dos 60s que tem razão ou algo assim… bem… o que estou para aqui a dizer, né? Ouçam aquilo que quiserem, claro.

Tipo techno.

 

As próximas três partes desta playlist de Jonas serão publicadas em www.cvlto.pt ao longo dos próximos dias.