Menu & Search
#ComoFoi o Eros2019 (pt. 1)

#ComoFoi o Eros2019 (pt. 1)

Esta reportagem foi escrita em parceria com os nossos amigos da Drunk on Drugs. Esta é a primeira de duas partes do que poderão encontrar em www.cvlto.pt. A segunda está disponível aqui.
Podem ler a extensa e gráfica reportagem do Hugh Dick da Drunk on Drugs aqui.

 

O Eros Porto é tudo aquilo que se pode imaginar e mais alguma coisa que a imaginação permita.

“The Eros Expo is basically a showcase of porn stars, strip clubs and sex shops, mixed with some seminars on several topics as well as hippie shit, but we’ll get to all that.

There wasn’t exactly a running order on any of this shit, apart from the Sex(y) Talk (the y is vagina, get it? it looked better with their font), so we’ll just go stage by stage telling you what the fuck went down.”

Hugh Dick, Drunk on Drugs

Desde espetáculos de strip, a espetáculos pornográficos, a lojas de brinquedos e produtos sexuais, houve entretenimento e souvernirs para todos os gostos. Ao longo de 4 dias a CVLTO e a Drunk on Drugs estiveram no Salão Erótico do Porto a descobrir os segredos que por lá se moviam.

As histórias que trazemos são muito diferentes. Nestes dois artigos que disponibilizamos em cvlto.pt encontrarão a história que nós vimos e fotografamos, e na plataforma da Drunk on Drugs poderão ler a história que Hugh Dick vivenciou – mais extensa e vívida que a nossa.

À hora de chegada, no primeiro dia ao cair da noite, ainda os ânimos estavam por aquecer.  Ainda pouca gente circulava no espaço do salão erótico, mas já alguns espetáculos vão acontecendo. De notar o à-vontade com que as artistas circulavam pelo espaço e com que se moviam em cima dos palcos que ocupavam.

O Salão Erótico tinha oito Palcos em permanente actividade com diferentes espectáculos temáticos. Os cinco que estavam na área principal dedicavam-se a strip feminino e masculino, a espectáculos gay e a espectáculos bdsm. Para além destes cinco palcos, há que assinalar a existência de uma única área reservada – o Estúdio X, onde os visitantes do salão erótico poderiam assistir a um espectáculo de sexo ao vivo.

Estava disponível também o espaço Extasia, que se dedicava a explorar outras formas de sexualidade e sensualidade,  de uma perspectiva mais mística – e de que o nosso amigo Hugh Dick não ficou nada fã, mas isso deixamos para descobrirem pela sua pena e não pela nossa.

Imediatamente ao lado do espaço Extasia, estava a zona de conferências. Aí os visitantes do salão erótico do Porto puderam assistir a sessões sobre sexualidade nas redes sociais, uma masterclass de squirting, ou até mesmo uma discussão sobre valores e posturas perante a pornografia.

O tema central do salão erótico do Porto de 2019 foi Direito à Educação Sexual, com a Associação para o Planeamento Familiar como convidada de honra. Também esta associação teve espaço na zona de conferências e no espaço principal do Eros. A par da Associação para o Planeamento Familiar, esteve também presente a Associação Piaget para o Desenvolvimento e Associação Gis.

 

A segunda parte desta reportagem, com as restantes imagens, está disponível aqui.

 

Fotografias: Ana Garcia de Mascarenhas.
Texto: Zita Bacelar Moura.